Você.


Viver um dia de cada vez está cada vez mais difícil. Dias iguais tendem a se arrastar e passar muito rápido ao mesmo tempo. Estar ocioso faz você querer se ocupar. Se ocupar faz você querer ter “tempo livre”. A verdade é que você quer qualquer coisa, menos estar ali, preso em sua própria vida.

Conheça Thirty, o aplicativo que te desafia!


Sou péssima com agendas ou qualquer coisa para me manter organizada. Como tenho boa memória, sempre confio em mim mesma para fazer tudo que tenho que fazer no tempo certo e ainda não esquecer meus projetos... Não preciso dizer que nem sempre dá certo, né?

Já baixei vários aplicativos para me manter em dia com as tarefas, mas nunca me acostumei a nenhum. Sempre os esquecia e, uma hora ou outra, deletava... Graças ao poder do algoritmo, a Play Store sugeriu que eu baixasse o app Thirty. O fiz e aqui estou para dividir minha experiência.

E as metas de 2016?


Já faz 84 anos... Mas eu ainda amo tudo isso aqui e, para provar, minha meta para este ano é postar e comentar nos blogs com maior frequência. Espero que ainda estejam comigo nessa.

Para começar bem o ano no blog, resolvi conferir duas listas que fiz um ano atrás: Wish List de Natal e Metas Para 2016. Fiquei surpresa com o resultado, pois, para ser sincera, nem me lembrava do post natalino, já que não comemoro, mas fiquei feliz em relê-lo... É como se fosse uma pessoa diferente, mas ainda sou eu, haha.

8 músicas para ouvir quando está na bad


Não sou a favor de escutar músicas tristes quando você está se sentindo mal, afinal, a única parte boa da bad é sair dela... Mas, como sei que é necessário colocar todos os sentimentos negativos para fora em certos momentos, nada melhor que uma musiquinha que lhe ajude a chorar até não sobrar lágrimas.

Pokémon GO Tag


Pokémon GO é um dos jogos para celular com o qual mais me ocupo atualmente (junto a Ascenção de Berk), então nada melhor que externalizar esse amor através de uma tag que fale sobre o jogo em si – não aquela variação com livros que tem as mesmas perguntas comumente encontrada em tags literárias. *rolleyes*

Revisitando: Harry Potter e a Pedra Filosofal


Inventei de reler e reassistir toda a saga Harry Potter de maneira intercalada, ou seja, logo após ler um dos livros, assisto ao filme que foi baseado nele. Dessa forma, posso perceber o que foi perdido na adaptação e o que ganhamos também (a galera antiadaptação nunca admite, mas tem certas coisas que ficam melhores nos filmes).

Se você nunca leu ou assistiu Harry Potter e a Pedra Filosofal, pretende fazê-lo e se importa com spoilers, sugiro que ignore esse post e leia o anterior. Caso contrário, pode apreciar sem medo os comentários de uma criatura que realmente acreditava que ia conhecer o Dan Radcliffe no “futuro” (hey, eu ainda não morri, então ainda há esperança).

 
Layout feito por Adália Sá | Não retire os créditos