Pokémon GO Tag


Pokémon GO é um dos jogos para celular com o qual mais me ocupo atualmente (junto a Ascenção de Berk), então nada melhor que externalizar esse amor através de uma tag que fale sobre o jogo em si – não aquela variação com livros que tem as mesmas perguntas comumente encontrada em tags literárias. *rolleyes*

Revisitando: Harry Potter e a Pedra Filosofal


Inventei de reler e reassistir toda a saga Harry Potter de maneira intercalada, ou seja, logo após ler um dos livros, assisto ao filme que foi baseado nele. Dessa forma, posso perceber o que foi perdido na adaptação e o que ganhamos também (a galera antiadaptação nunca admite, mas tem certas coisas que ficam melhores nos filmes).

Se você nunca leu ou assistiu Harry Potter e a Pedra Filosofal, pretende fazê-lo e se importa com spoilers, sugiro que ignore esse post e leia o anterior. Caso contrário, pode apreciar sem medo os comentários de uma criatura que realmente acreditava que ia conhecer o Dan Radcliffe no “futuro” (hey, eu ainda não morri, então ainda há esperança).

Transtorno mental: ter ou ser?


Em um mundo onde o Google se tornou psicólogo e médico e todos têm algum transtorno mental, tenho medo de abrir a boca e, sem perceber, invalidar o sofrimento de alguém, mas ficar calada quando vejo pessoas se “vestindo de doença” e apelando para os remédios é um tremendo erro.

Filmes por aí: Chernobyl Diaries | It Follows


Ando assistindo mais filmes que o normal (mais de zero por semana, como costumava ser), em razão da minha falta de disposição para fazer qualquer outra coisa quando não estou trabalhando. Algumas vezes acerto, outras nem tanto... Minhas habilidades de garimpeira da Netflix e afins são quase tão instáveis quanto minha dieta.

Sobre dizer que quero adotar


Quero ter filhos, mas engravidar não faz parte dos meus anseios por vários motivos. Como o pensamento de que a mulher serve apenas para ser mãe (biológica!), esposa submissa e dona-de-casa está impregnado na sociedade, vocês devem imaginar que ouço todo tipo de coisa quando revelo esse desejo.

Adeus, Minzy do 2NE1!


À Gong Minji, meu muito obrigada.

Obrigada por existir, por trazer luz a minha vida com seu talento, por ter sido a maknae mais amorzinho da história da YG, que sempre utilizava linguagem formal quando se dirigia aos mais velhos e fazia reverência para artistas novatos.

 
Layout feito por Adália Sá | Não retire os créditos