Sobre dizer que quero adotar


Quero ter filhos, mas engravidar não faz parte dos meus anseios por vários motivos. Como o pensamento de que a mulher serve apenas para ser mãe (biológica!), esposa submissa e dona-de-casa está impregnado na sociedade, vocês devem imaginar que ouço todo tipo de coisa quando revelo esse desejo.


"Isso é porque você é nova e ainda não sabe nada da vida"

Tenho 24 anos. Não me considero a adultona que já conhece cada truque da arte de viver. Além disso, sei que estou sujeita a mudanças, mas o problema que tenho com essa frase é que uma parte considerável das pessoas que conheço acha que estou velha demais e já deveria estar casada.

É, no mínimo, estranho ouvir que sou muito nova para saber o que quero para minha vida da boca das mesmas pessoas que perguntam se vou ficar para titia”. Com isso, entendo que é só ir contra uma das ideologias desses seres para eu magicamente me tornar “novinha, burrinha e coitada”.


"Tanta mulher no mundo querendo engravidar..."

Essa é campeã. Líder do ranking MAS O QUE ISSO TEM A VER?. O fato de eu engravidar vai ajudar essas mulheres em quê mesmo? A única ajuda que posso oferecer é pedir para Deus conceder o desejo do coração delas (can I hear an AMEN?), porque eu ter um filho biológico não muda nem diminui o sofrimento delas.


"E seu marido? E se ele quiser ter filhos?"

É engraçado como as pessoas já supõem que toda mulher quer e vai casar um dia. Mesmo querendo ter esse tipo de relacionamento, faço questão de perguntar como a pessoa “adivinhou” que quero casar. De qualquer forma, ainda estou solteira, então não sei por que no mundo devo me importar com alguém que ainda nem apareceu. Ah, e se ele quiser ter filhos comigo, vai ter, ué.


"Mas filhos mesmo... De verdade, sabe?"

Essa é uma das que me deixa mais chateada: insistir que o filho não será seu. Como alguém pode perguntar isso e não perceber que é ofensivo? A adoção concede filhos de verdade! Ou um filho biológico é mais filho que um adotado? ESCLAREÇAM.


"Um dia, você vai se arrepender"

Se uma pessoa tem a cara-de-pau de dizer para alguém que pretende ser MÃE (porque a mulher que adota é mãe e isso não depende da sua opinião) que ela vai se arrepender de não ter tido um “filho de verdade”, tentando diminuir o valor daquela criança para ela, não duvido que seja insensível o suficiente para dizer isso na frente do adotado.


"Deve ser até pecado você dizer uma coisa dessas"


???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????


Essas são algumas das coisas que já ouvi. Se parassem por aí, talvez fosse mais fácil aturar, mas, em sua maioria, se torna um eterno debate sobre “engravidar e ser mãe de verdade” (?), como se parir estivesse relacionado a ser mãe de alguma forma... Ás vezes, me pergunto se estamos mesmo em 2016 ou se contamos errado.
 
Layout feito por Adália Sá | Não retire os créditos